blog

Vivemos numa época em que as pessoas têm buscado equilíbrio, adotando condutas e hábitos que lhes ofereçam maior qualidade de vida, objetivando saúde e bem-estar.

Nesse contexto, sem dúvida alguma a odontologia possui papel extremamente importante, afinal de contas, a saúde começa mesmo pela boca.

Além disso, um sorriso esteticamente agradável, tem o poder de elevar a auto-estima da pessoa, trazendo-lhe confiança e consequentemente bem-estar.

Por isso, me sinto feliz em poder ajudar meus pacientes a alcançar esses objetivos, através da transformação em realidade desse dom que Deus me deu.

E é imbuída dessa missão que estou à disposição para atendê-los.

Dra. Carolina Midlej - CROSP 86.523

Erosão dentária

A erosão dentária é um tipo de desgaste que ocorre na estrutura do dente caracterizada pela perda progressiva de tecido, causada pela ação de substâncias químicas sobre o esmalte dental. Essas substâncias químicas tem origem em fatores intrínsecos e extrínsecos.

Os fatores intrínsecos são causados pelo ácido gástrico que entra em contato com as superfícies do dente quando há refluxo, regurgitação ou vômito, isso ocorre frequentemente nos quadros de distúrbios psicossomáticos, desordens gastrointestinais e em pacientes portadores de necessidades especiais; e os fatores extrínsecos: pelo consumo excessivo de alimentos e bebidas ácidas, exposição prolongada à água da piscina incorretamente tratada, o uso crônico de medicamentos ácidos, o uso de drogas ilegais, o uso frequente de alguns produtos de higiene oral ou a inalação de fumaças industriais corrosivas.

O cálcio que está na saliva ajuda a neutralizar o ácido dos alimentos que você ingere e protege os dentes contra a erosão. Porém, se você consome bebidas ou alimentos demasiadamente ácidos, o cálcio da saliva pode não ser suficiente para proteger seus dentes.
Um dos primeiros sinais da erosão é a perda da caracterização do esmalte. Em dentes posteriores, frequentemente há a formação de “cuppings”, que são pequenos pontos de socavamento do esmalte, cuja forma se assemelha à de um pires de xícara.

O diagnóstico da erosão deve ser feito através de um exame clínico e anamnese criteriosos para se ter êxito no tratamento.

Se a causa da erosão for a dieta, a frequência de consumo de alimentos e bebidas ácidas deve ser diminuído. A ingestão de bebidas ácidas deve ser feita utilizando-se canudo.
Recomenda-se que a escovação dental seja realizada após uma hora de finalizada as refeições, a fim de possibilitar o contato da saliva para a neutralização do pH do ambiente bucal. O uso de escova com cerdas macias e dentifrício fluoretado não abrasivo também são medidas importantes.
Pacientes com baixo fluxo salivar, e consequente diminuição da efetividade da lubrificação e capacidade tampão, é indicado o uso de saliva artificial.

Em situações mais severas com presença de hipersensibilidade dentária, recomenda-se a realização de procedimentos restauradores para devolver forma, função, proteção do complexo dentino-pulpar e dimensão vertical perdida com o desgaste.